Respondidas
Quais os principais problemas que as hortaliças brasileiras enfrentam no mercado internacional?

Quais os principais problemas que as hortaliças brasileiras enfrentam no mercado internacional?

  
Postado 2 anos atrás
Votos Último

Respostas


Embora seja o 22° maior produtor mundial, o Brasil ainda tem participação inexpressiva nas exportações de hortaliças. Inicialmente, encontramos um agravante na situação das estradas e inadequação dos meios de transporte. Esse problema não se restringe apenas a caminhões sem refrigeração e estradas mal conservadas, também diz respeito à falta de pontos de resfriamento em portos e aeroportos, à pouca disponibilidade de navios que transportem contêineres frigorificados e à falta de pontos de força que permitam a permanência desses nos portos até o transporte em navios frigorificados.

A deficiência de serviços de logística é mais uma das graves falhas que acometem o comércio internacional de hortaliças brasileiras. A inexistência de uma cadeia de armazéns frigorificados junto à produção e à distribuição obriga o setor responsável pela comercialização a ter agilidade e eficiência maiores que sua capacidade.

Aliam-se a essas questões, as dificuldades de obtenção de capital para financiamento do sistema pós-colheita e para capacitação dos produtores na comercialização de seus produtos. Em função dessa realidade, podem ser apontados ainda entraves decorrentes da falta de escala de comercialização e das práticas comerciais amadoras de boa parte das empresas brasileiras que atuam no setor, prevalecendo a intermediação tradicional, calcada na obtenção de vantagens sobre o produtor.

Além disso, as barreiras fitossanitárias impostas pelos países importadores são excessivamente rigorosas, extrapolando suas razões técnicas. Muitas vezes funcionam mais como uma forma de protecionismo, tornando-se o maior entrave ao fluxo comercial das hortaliças brasileiras - embora já tenham sido apontados reais problemas sanitários na produção.

Somam-se a essas barreiras o fato de que: a) poucas das hortaliças produzidas chegam ao mercado em condições de serem exportadas; b) não há muita preocupação em se produzir hortaliças em conformidade com os padrões exigidos pelo mercado importador, geralmente desconhecidos; c) ainda é incipiente o esforço institucional de marketing para divulgar as hortaliças brasileiras.

Quanto às estratégias de marketing, o país padece pela pouca capacidade dos agentes de governo em coordenar uma ação conjunta de produtores, distribuidores e instituições governamentais e não governamentais que possibilite maior exposição das hortaliças brasileiras aos consumidores do mercado internacional. Ação que poderia ser efetivada em feiras e exposições internacionais. Outro fator é a tentativa de utilização de marcas que identifiquem a origem do produto, que tem crescido não só como estratégia de marketing, mas também como forma de conferir confiabilidade e possibilitar a abertura de mercado para outros produtos oferecidos sob a mesma marca.

O Brasil poderia auferir maiores vantagens do comércio internacional, no entanto, esse esforço não tem sido significativo.

Fonte: Pós-colheita de hortaliças : o produtor pergunta, a Embrapa responde / editores técnicos, Rita de Fátima Alves Luengo, Adonai Gimenez Calbo. – Brasília, DF : Embrapa Informação Tecnológica, 2011. 251 p. : il. ; 16 cm x 22 cm. – (Coleção 500 perguntas, 500 respostas).

  
Postado 2 anos atrás